O que eu estou fazendo de mim? É um momento para pensar. Essa é a vida que eu estou querendo levar? Com as pessoas que eu quero?

A vida é muito curta. Muito rápida. É muito passageira, e ouçam alguém de mais de 50. Depois dos 40 parece que fica mais rápido ainda. Parece que passa numa velocidade incrível.

A vida é muito curta para que se perca tempo numa existência medíocre. Numa existência pequena, numa existência fraca.

A vida é muito curta pra que eu tenha uma família que eu não ame, para que eu tenha um emprego que eu não goste. Para que eu tenha um trabalho que eu não me dedique. Ela é muito curta pra eu ser medíocre. É muito pouco tempo pra isso.

Pergunte-se o que estamos fazendo de nós mesmos. E siga o conselho que Sócrates, que fundou a filosofia ocidental, conheça-te. Conheça a ti mesmo. Conhecimento de si. Sigam esse conselho. Sigam essa ideia de saber quem vocês são.

Se eu me conhecer, ninguém me ofende; se eu me conhecer, ninguém me ataca. Quando alguém me xinga no trânsito eu tenho que saber se a pessoa está falando a verdade ou a mentira. Nos dois casos não posso me ofender. Conheçam-se. Saibam quem vocês são.

Ano passado um aluno bateu a porta na minha cara e gritou: careca! O que eu vou dizer pra esse aluno? “Não”? “Retire o que você disse”? “Estou ofendido”?.

Vejam, as pessoas têm direito para dizer o que querem, é um direito constitucional. Eu só ofendo quando eu concordo com elas.

Ataque é veneno, veneno só funciona se eu tomar. A vida é muito curta pra que eu perca o tempo com babacas cheios de ódio.

— Leandro Karnal